Navegação Categoria

Dicas

Colaboradores, Dicas, Viagem

Como consegui meu intercâmbio

12 de agosto de 2013

Oi meninas, tudo bem?

O post de hoje vai contar um pouco sobre a minha experiência de intercâmbio, como eu consegui realiza-lo, na verdade. Bom, pra quem ainda não sabe, eu fiz um intercâmbio de um semestre na Michigan State University, em East Lansing, Michigan; ao norte dos EUA, o estado que parece uma palma de mão.

Leia também: Vantagens e Desvantagens de fazer intercâmbio nos EUA

Faço Ciências Sociais com ênfase em ciência política e no período em que estava no meu quinto semestre, surgiu um edital de intercâmbio chamado CAPES/FIPSE para trabalhos em cooperação entre a minha universidade e a MSU. O meu edital era para realizar uma espécie de estudos/pesquisas colaborativas sobre Globalização, e pedia especificamente alunos do meu curso, de economia e de geografia. Então eu tive sorte, já que maioria dos editais de intercâmbio que dão bolsas integrais são de ampla concorrência.

Em todo edital existem pré-requisitos, coisas que você tem que ter minimamente, para poder ser homologado no processo de seleção. A maioria dos editais de financiamento de intercâmbio que eu vejo abertos pedem notas altas (acima de 8,0), estar cursando a partir de um determinado período do curso (geralmente a partir do 3º semestre), ter um bom currículo lattes (que é basicamente o seu currículo vitae no meio acadêmico e científico), ter o passaporte (então se você quer mesmo fazer, o primeiro passo é tirar seu passaporte!) e ter um nível avançado ou intermediário da língua, muitas vezes exigindo a comprovação disso como um certificado de formação, ou os certificados emitidos pelas provas de proficiência como o TOEFL dentre outros.

como-consegui-meu-intercâmbio

No meu caso, além desses documentos básicos, eu precisava entregar uma carta de apresentação em inglês dizendo no que o intercâmbio me seria útil e por que eu era merecedora da oportunidade, e também uma carta de recomendação de algum professor da universidade. Parecem ser coisas difíceis de se conseguir, mas ao contrário, é bem simples. O importante, no caso da carta de apresentação, é alguém que revise pra você, né? Tem sempre aqueles erros, causados pelos nossos vícios de linguagem e que acabam passando despercebidos.

Leia também: Os diferentes tipos de Intercâmbio

Depois de entregar todos esses documentos, esperei umas duas semanas e saiu o resultado, tinha sido homologada para a segunda etapa, que também era a final, tratava-se de uma entrevista. A maioria dos editais de bolsas tem essa etapa final, que é entrevistar pessoalmente os candidatos para avaliar as respostas e a competência de cada um. As entrevistas eram em inglês, numa sala de reuniões com funcionários da pró-reitoria da universidade responsável pelos acordos internacionais, pelos diretores dos cursos envolvidos e pelos professores coordenadores do projeto. Sim, deu medo estar numa sala cheia de gente e todos atentos à você e suas respostas. Mas o segredo é o mesmo de uma entrevista de emprego, keep calm e venda seu peixe! Eles não esperam que seu inglês seja impecável, mesmo que você seja formado, isso porque a fluência só se consegue no convívio, então tudo bem se você travar, se você falar uma ou outra coisa errada, o essencial é o mesmo de qualquer processo de comunicação: entender e se fazer entendido.

Leia também: 5 dicas para arrumar as malas

Mais um tempo depois e saiu o resultado final, havia passado em primeiro lugar e conseguido a bolsa!

O post é contando minha experiência, mas na verdade, é a experiência de muitas pessoas que tentam intercâmbio com financiamento de instituições, sejam elas públicas ou privadas, imaginei que contando como consegui meu intercâmbio, ajudaria quem está tentando. Querem saber mais coisas? Só perguntar nos comentários que eu respondo com todo o prazer! Até a próxima semana!

2


Veja Também...

Comentar Via FaceBook


Dicas, Viagem

Os diferentes tipos de intercâmbio

21 de julho de 2013

Hello fellows! Meu nome é Alessandra, sou uma das novas colaboradoras do blog. Ano passado tive a oportunidade de realizar um intercâmbio na Michigan State University (MSU), em Michigan, nos Estados Unidos. Vou contar mais sobre minha experiência intercambista com vocês em outros posts, mas hoje o que eu quero dar destaque são nos diferentes tipos de intercâmbio.

Leia também: Vantagens e desvantagens de fazer intercâmbio nos EUA 

Em primeiro lugar, intercâmbio não é reservado apenas a quem está estudando no ensino médio e quer vivenciar uma experiência em outro país. Existem intercâmbios para quem quer trabalhar, quem está cursando universidade, além de intercâmbios para quem quer aprender a língua estrangeira. Então, se você está pensando em fazer uma viagem de intercâmbio é bom escolher qual o foco da sua viagem. tipos-de-intercâmbio

TRABALHO

Au Pair– É para maiores de dezoito anos e você precisa ter referências em cuidados com crianças. No Au Pair você vai cuidar de crianças no exterior, além de aprender o idioma em um curso. Existem sites específicos para isso, mas alguns dos grandes centros de intercâmbio também possuem essa categoria. Basicamente, você vai ser babá.

O que tem de diferencial? Se você quer aprender a linguagem do dia-a-dia, da vida doméstica, acredito que essa seja uma boa alternativa. Cursos de língua estrangeira te ensinam a se comunicar, mas dentro da gramática formal, entretanto, no cotidiano, as coisas não funcionam assim sempre. É aprendendo a linguagem do dia-a-dia onde você vai mesmo ganhar a almejada fluência.

Ex: Eu aprendi que a pergunta de preferência geralmente é assim: “What kind of cheese would you like to eat?”, em vez disso, no meu intercâmbio me perguntavam 3x mais veloz do que no meu curso de idiomas: “Wha’kinda cheese do ya wanna, hun?”

Leia também: Como consegui meu intercâmbio

Trainee/Estágio – Também é para maiores de dezoito anos que estejam cursando ensino superior ou seja recém-formado. Você vai estagiar no exterior, numa loja, ou numa fábrica, ou laboratório… Depende da sua área de formação. Esse aqui, diferentemente do Au Pair, é necessário que a pessoa já tenha um domínio de inglês avançado ou intermerdiário, né? É voltado para a experiência no mercado de trabalho.

O que tem de diferencial? O peso no seu currículo. Ter experiência/estágio já é algo mais do que requisitado para conseguir qualquer emprego, e principalmente, com um salário decente. Imagina só você ter no seu currículo um trabalho no exterior? Muitos pontos! Além disso, é ótimo para adquirir a fluência não só na linguagem cotidiana, mas na dos negócios.

tipos-de-intercâmbio

ESTUDOS

High School – É o modelo mais clássico de intercâmbio. Estudar numa escola no exterior ao nível do ensino médio. É uma experiência bastante cultural. A grande maioria das empresas de intercâmbio trabalham com esse tipo de convênio. Para quem está na escola e tem condições de arcar com esses custos, é uma boa pedida!

Graduação/Mestrado/Doutorado Sanduíche – Para nível superior. Esse pode ser de livre iniciativa tal como o High School, mas aqui no Brasil é o mais acessível em termos de bolsas e financiamentos (vou fazer um post a parte para isso). Você tem a possibilidade cursar a partir de um semestre em outra universidade. É extremamente recomendável para você ter acesso a diferentes abordagens, bibliografias, palestras, laboratórios e etc. Sobre sua área.

Leia também: 5 dicas para arrumar as malas

Curso de Idiomas – A meu ver é o programa de intercâmbio mais flexível. Você que não pode ficar muito tempo fora do país, mas tem muita vontade de fazer intercâmbio, existem programas que oferecem um mês ou até menos de estudos. Ele é específico para o aprendizado da língua estrangeira, cursos assim costumam ser chamados de “imersão” porque você vai estar aprendendo a língua ao mesmo tempo que está envolto da cultura e tendo diálogos afora da sala de aula com pessoas nativas. E eles também são diferenciados, você pode aprender o chamado instrumental, ou então para negócios, ou hotelaria etc.

Bom gente, esses são alguns dos principais tipos de intercâmbios! Se vocês tiverem dúvidas ou quiserem saber mais coisas, só postar nos comentários ou me adicionar no twitter que eu respondo tranquilamente!

That’s all folks!

XOXO!

10


Veja Também...

Comentar Via FaceBook